TURISMO: “Estrada é vital para desenvolvimento”, afirma vereador

Vila Nova de Teotônio está praticamente isolada, sem transporte público e com acesso intrafegável, famílias abandonam casas

Com objetivo de fomentar o turismo da capital o vereador Professor Aleks Palitot, acompanhado do prefeito Hildon Chaves, visitou na manhã de sábado (1), a vila Nova de Teotônio, onde verificou as condições da estrada de acesso, principal reivindicação dos moradores.

Com cerca de quarenta famílias que sobrevivem da agricultura, pesca e do turismo, a Vila Nova de Teotônio encontra-se praticamente isolada. Em média de 50 quilômetros distante de Porto Velho, a estrada de acesso ao vilarejo está quase intransitável inviabilizando aquele que seria o maior potencial econômico do local, o turismo.

“Aqui é uma área de turismo, de pratica esportiva, de lazer e é interessante ter uma estrada boa para que os turistas da área urbana de Porto Velho possam vir contemplar esse espaço e conhecer a rica gastronomia que a comunidade oferece para quem vem visitar esse lugar”, afirma o vereador Professor Aleks Palitot

De acordo com o vereador o prefeito se mostrou muito comprometido. Há uma semana atrás uma equipe já esteve avaliando e informou o que é possível ser feito. “A vinda dele veio apenas selar com os moradores os encaminhamentos necessários para os próximos meses em beneficio dessa comunidade”.

“Este é um importante patrimônio do município de Porto Velho e tão logo termine o período chuvoso a estrada que está em estado precário receberá melhorias”, garantiu o prefeito que ao conferir pessoalmente percebeu o potencial turístico a ser desenvolvido.

Professor universitário, Edinei Souza ressalta a beleza do local, mas que devido as condições da estrada está muito difícil o acesso. “Venho quase todo fim de semana comer um peixe. Venho de caminhonete e mesmo assim a gente sofre. A população daqui está isolada pois nem transporte público tem. O consórcio criou a vila, mas não proporcionou o básico”, ressalta.

Proprietário de um dos restaurantes localizado na margem do lago, Carlos Afonso da Silva Damasceno, o Carlão como é conhecido é um dos mais antigos moradores da vila. “Aqui para valer a pena precisa de apoio político. Primeiro a estrada de acesso para incentivar o turismo e depois para cobrar o que nos foi prometido pelo consórcio e nunca cumpriram como os tanques de peixe, as terras prometidas para o pessoal plantar, a granja. Tudo combinado que não foi cumprido”, denuncia.

FONTE: Assessoria