Memorex de História do Brasil

Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 1 Tema: Contexto e Fatores da Expansão Marítima
O Pré-Capitalismo – Fatores que contribuíram para o surgimento do capitalismo. Transição do Feudalismo para  o Capitalismo – Produtos Orientais e especiarias – Surgimento de grandes Companhias Rotas comerciais foram desenvolvidas – Surgimento da moeda – Fatores da Expansão Ultramarina Européia. Em virtude das crises dos séculos XIV e XV – retração do comércio e necessidade de expandir o comércio. No plano sociopolítico – a burguesia queria ampliar a circulação comercial.
Com a expansão comercial surgem as cidades – chamadas de burgos – Onde habitavam os comerciantes , que por isso, foram chamados de burgueses. Os burgueses faziam acordos com o senhor feudal- interesses – Os artesãos se organizaram em corporações de ofício –evitando a concorrência e a superprodução.
A rigor, os empreendimentos marítimo-comerciais eliminaram obstáculos  que evitavam o comércio.    
Fortalecimento do poder Real  e Estado – No plano cultural  a contribuição das grandes invenções ; pólvora,bússola, papel e imprensa – Plano religioso – expandir a fé cristã
Expansão Marítima:  Ciclo Oriental
Origem de Portugal
A formação do Reino está associada à Guerra de Reconquista entre cristão e mulçumanos na Península Ibérica. Nobres portugueses participaram do conflito em troca de terras no Condado Portucalense.
Entres estes nobres – Henrique de Borgonha recebeu do Rei de Leão e Castela, Afonso VI, terras situadas no Condado Portucalense. Em 1139, Afonso Henriques, filho de Henrique de Borgonha , rompeu relações de suserania e vassalagem com os espanhóis, e formou o reino de Portugal em 1139-1383  ( Dinastia de Borgonha)
Pioneirismo Luso Nas Grandes Navegações
Fatores: desenvolvimento comercial – interesse dos comerciantes em expandir suas transações – consolidação do poder real – aperfeiçoamentos náuticos – Escolas de Sagres, Infante Dom Henrique – localização geográfica
– Espírito Cruzadista.
Viagens Portuguesas
Os empreendimentos marítimos portugueses devem ser divididos em duas etapas distintas:
1ª Etapa – devassamento do litoral da África, novo caminho para o Oriente (Índias). Tomada de Ceuta em 1415 – especiarias e escravos –  Depois a descoberta das ilhas de Madeira, Cabo Verde e Açores.  
2ª Etapa- Constantinopla estava dominada pelos turcos, os preços das especiarias elevaram-se bruscamente.
O Estado Luso empenhou-se na busca de uma nova rota para as Índias. Aconteceram as viagens de:
1488 -Bartolomeu Dias ( Cabo das Tormentas – Sul da  África) – 1498 – Vasco da Gama ( Calicute, na Índia)
1500 – Pedro Álvares Cabral ( Brasil) – 1509/ 1515 – D. Afonso de Albuquerque –  Golfo Pérsico  Ceilão e Indochina.
Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 2 Tema: As primeiras visitas portuguesas ao Brasil
Inicialmente certo desinteresse ao Brasil – Atenções voltadas para as Índias Orientais – Por isso, apenas houve a exploração do pau-brasil com formação de feitorias nômades. Com isso , os franceses aproveitaram-se para contrabandear os recursos naturais do Brasil.
 Portugal então, organizou algumas expedições; 1ª – 1501 – comandada por Gaspar de Lemos e Américo Vespúcio, que realizaram o  reconhecimento do litoral.  2ª – 1503 – Gonçalo Coelho – exploração do pau-brasil.
Expedições guarda-costas de 1516-1519 e  a de 1526 que se prolongou até 1528: comandadas pelo Cristóvão Jacques. Com o fracasso das expedições guarda-costas , diante da possibilidade de Portugal perder as terras.
O rei D. João III, o Colonizador, na década de 30 inicia o período colonial.
A Política na Colônia
Durante o período colonial brasileiro, ocorreram choque entre duas forças: * Aristocracia Rural local
* Representantes do governo de Portugal. Em 1530,  o rei D. João III – organizou a expedição de Martim Afonso, que aqui chegou em 1531 para: Dar início a colonização ( povoar ) , fazer reconhecimento ( exploração ) e proteger as terras contra a presença francesa ( defesa ). 
Martim Afonso veio com seu irmão Pero Lopes de  Sousa, que realizou expedições no Rio Prata.
 Outra expedição foi a Cananéia (São Paulo), mas fracassou. O resultado mais positivo foi a introdução da cana-de-açúcar  na região de São Vicente (São Paulo) e a conseqüente criação do primeiro engenho do Brasil na Bahia.
O desenvolvimento da cana-de-açúcar propiciou ao surgimento da vila de São Vicente em 1532. Primeiro núcleo habitacional do Brasil. Regime de capitanias hereditárias: o Brasil é dividido entre brancos. A partir de 1534 foi criado um novo regime de divisão do Brasil. – O Brasil foi dividido em 14 capitanias, com 15 lotes, doadas a 12 donatários. 
Aspectos do Colonialismo – Mercantilismo: Metalismo – metais preciosos – Doutrina da Balança Comercial Favorável – exportar mais e importar menos. Protecionismo – tarifas elevadas e incremento da produção interna.
Posse de Colônias – complemento financeiro para a Metrópole. Pacto Colonial – exclusividade comercial. Bases jurídicas eram: a carta de doação – concessão e conjunto de deveres dos donatários. a carta foral – direitos e tributos devidos ao rei, mais os direitos dos colonos.  * Apenas duas capitanias deram certo; a de São Vicente e a de Pernambuco ( Duarte Coelho)  
Governo Geral – criado em 1548, pelo rei D. João III e instalado em 1549.O governador era nomeado pelo rei – 4 anos . Possuía três auxiliares básicos: Ouvidor-mor, encarregado da Justiça – Provedor-mor, encarregado das finanças – Capitão-mor, defesa do Litoral.
 Todos formavam o Conselho do Governo com a finalidade de criar um orgão centralizador. Encargos básicos do governador. Fundar uma cidade – ser a capital,  Pacificar os indígenas e punir os revoltosos – Construir fortes e fiscalizar armamentos, Arrecadar impostos sob o pau-brasil – Combater a penetração dos Corsários e Praticar a justiça superior.
Câmaras Municipais – presididas por um juiz e formada por três vereadores (homens-bons)
Eleitos através de sorteio.
Tomé de Souza (1549-53) – 1549 fundou a primeira cidade, Salvador, contando com a ajuda de Diogo Álvares Correia (Caramuru). Tomé trouxe consigo colonos, degredados e seis missionários jesuítas chefiados pelo padre Manuel da Nóbrega que, em 1549, fundou o primeiro colégio do Brasil.
Na parte econômica houve o desenvolvimento da cana-de-açúcar , contando com a mão-de-obra escrava negra. Na pecuária, com a introdução das primeiras cabeça de gado.
Duarte da Costa (1553-58) – Na sua administração tivemos inúmeros distúrbios Houve em 1555 a invasão francesa no Rio de Janeiro comandada por Nicolau Durand Villegaignon. Os franceses em número de 600 fundaram no Rio de Janeiro uma colônia – França Antártica. José de Anchieta junto com Pe. Manuel Paiva fundaram em 1554 – Colégio São Paulo de Piratininga.
Mem de Sá (1558-72) – O terceiro governador conseguiu expulsar os franceses em 1567. O invasores contavam com o apoio dos índios tamoios contra a Coroa Portuguesa. Depois da derrota os  franceses se refugiaram na Baía de Guanabara a fim de reconstruir a colônia.
Em 1563, chegaram reforços de Portugal – sobrinho do governador, Estácio de Sá que aliou-se aos índios temiminós conseguindo expulsar os franceses 1565.
Estácio de Sá, fundou em 1° de março de 1565, a povoação de São Sebastião do Rio de Janeiro.
D. Luís de Vasconcelos (1570) – Não tomou posse, em virtude de morrer em alto-mar depois de um ataque dos franceses ao seu navio. Mem de Sá, governou até 1572 quando morreu em Salvador – fato que fez o Rei D. Sebastião dividir o Brasil em dois governos.
Divisão do Brasil em dois governos – A primeira divisão foi de 1572 a 1578, em Governo do Norte,  entregue  a Luís de Brito Almeida – sede  em Salvador. Governo do Sul, entregue a  D.  Antônio  Salema – Sede  no  Rio de  Janeiro.

 Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 3 Tema: Espanha domina o Mundo – A União das Coroas Ibéricas
Após a morte de D. Sebastião I, em 1578 o trono fica com o seu tio-avô, o cardeal D. Henrique, 1580 o cardeal morre – o parente mais próximo era o Rei da Espanha, Felipe II. Invade Portugal – com apoio da burguesia e da nobreza portuguesa.
Conseqüências da União Ibérica
 – Constituição de um grande império, colonial Ibérico , formação da invencível armada
 – conflitos militares com a Inglaterra, Holanda e França, fechamentos dos portos Ibéricos
   aos navios flamengos e supressão temporária do Tratado  de Tordesilhas.
Em 1640 , ocorreu a Restauração Portuguesa – liderado pelo Duque de Bragança – derrotou  as tropas de Filipe IV. Com a ajuda da Holanda, França e  Inglaterra – iniciando a Dinastia de Bragança.
Criou-se uma dependência política e econômica com a Inglaterra  – Tratado de Methuen  – tecidos e vinhos, Ataques e invasões: ingleses, franceses e holandeses – A presença inglesa – desde de 1530 – comercializavam com os indígenas – piratas.
A presença francesa – Contrabando do pau-brasil – A França Equinocial ( Maranhão – 1612-1615) – Em 1612 chega uma expedição comandada  por Daniel de La Touche – estabeleceram as bases das colônias.
As invasões holandesas ( séc. XVII) . A invasão holandesa na Bahia ( 1624-1625) – 26 navios da WIC, com 3.300 homens – Jacob Willekens – invadiram a Bahia – motivo – por ser uma região de grande produção do açúcar – capital da colônia. 1625 os holandeses eram derrotados e expulsos da Bahia -Jornada dos Vassalos.
A invasão holandesa em Pernambuco ( 1630-1654) – 56 navios grandes e 7.300 soldados, a WIC – liderados por Diederik – os holandeses não encontraram resistência. Insurreição Pernambucana ( 1645-1654)
A saída de Nassau – As causas básicas da Insurreição Pernambucana
endividamento dos senhores de engenho, cobrança das dívidas, queda no preço do açúcar
inundações e chuvas – produção. 1648 e 1649 – as duas Batalhas de Guararapes

 Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 4 Tema: Principais períodos econômicos coloniais
Pau-brasil:o Brasil é vermelho – período pré-colonial até meados do século XVI. Nesta atividade, extremamente predatória e itinerante – mão de obra era livre. Cana-de-açúcar: nasce a colônia de exploração. Fase – segunda metade do século XVI até o final do século XVII.
Introdução da cana – Martin Afonso de Sousa – Conjuntura favorável externa e internamente. Na agricultura canavieira – destacar a participação dos flamengos – investimentos – Regiões produtoras: Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro e outras regiões do Nordeste.
Unidade produtora – dois tipos de engenhos – engenho d’água e o engenho trapiche. No mundo canavieiro – diversos tipos de fazendas – Destaca na história – Propriedade senhorial ou engenho. Quatro Edificações: Casa-grande , senzala, capela ou Igreja e o engenho.
Formação étnica do Brasil nasce dos engenhos – Sociedade basicamente rural – patriarcal – Sociedade conservadora, escravista, em crescente miscigenação e estratificada. Pecuária: gado foi introduzido no Brasil – XVI – para força motriz – Como animal de tração e transporte – segundo plano como alimentação: carne-seca, carne-de-sol e o charque.
As principais regiões: Sertão do Nordeste e Vale do S. Francisco – mão-de-obra livre – vaqueiros  
Minas Gerais: Pecuária com técnica superior, fazendas com pastos e cercadas – mão-de-obra escrava.
O grande mercado minerador – bovino, suíno, caprino , muar e equino.
A Escravidão – Em virtude  das  vantagens comerciais proporcionadas pelo tráfico negreiro e sua importância  para a  produção  de açúcar.  O vantajoso negócio – tornou o escravo numa mercadoria.
          
Entre 1530 e 1850, data da abolição do tráfico negreiro – tivemos a vinda de milhões de africanos – condição de mercadorias. Trabalho nas lavouras, na mineração e no trabalho doméstico – o negro                            participava de todo o processo.
Eram trancafiados durante toda a travessia  – condições insalubres – morte. Parte dos africanos trazidos para o Brasil eram ligados – duas etnias – sudaneses – bantos.  Sudaneses – Nigéria, Costa do Marfim e Daomé
Bahia.
Bantos – Moçambiques, Congo e Angola. Pernambuco, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Formas de Resistência – Fugas individuais ou coletivas, suicídios, assassinatos de feitores e de senhores e abortos eram formas extremadas de resistência. Dentre as formas coletivas de resistência, a rebelião, fugas coletivas e taxa de produtividade baixa.
Os Quilombos – Os escravos que conseguiam se refugiar nas matas formavam agrupamentos denominados quilombos – reproduziam o modo de vida africano. Essa foi a forma de resistência negra mais combatida pelos senhores e pelo Estado português. No final do século XVI, um grupo de escravos fugiu para a Serra da Barriga, no interior do atual estado de Alagoas – Quilombo dos Palmares.
Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 5 – Tema: Mineração no Brasil
As principais regiões – ouro: Minas Gerais  1693 –Antônio Rodrigues, Mato Grosso 1718 – Pascal Leme e                              Goiás 1725 – Bartolomeu Filho.                            
Legislação aurífera: Em 1603 – Carta Régia – autorizava a exploração – Quinto   1702, Regimento do Ouro – regulamentava e organizava.  Criação da Casa de Fundição – Principais tributos: Quinto  parte do ouro era da metrópole Capitação – 17g de ouro por escravo que o minerador possuísse.
Finta – proporção aos rendimentos de cada morador da região aurífera. Derrama – o déficit deveria ser pago – bens pessoais – Ação administrativa e política portuguesa – provocou três levantes:
 Guerra dos Emboabas ( 1708 – 1709), Revolta de Vila Rica (1720) e Inconfidência Mineira (1789) Consequências da mineração:  * Grande imigração portuguesa – corrida para Minas, * Desenvolvimento de um comércio de escravos e  * Penetração e povoamento do interior.
A Revolta de Felipe dos Santos (1720)
Em 1717, Pedro de Almeida, conde de Assumar, governador Capitania de São Paulo e Minas do Ouro – tinha como tarefa  -contrabando do ouro.A pressão metropolitana sobre o comércio ilegal – inquietação na população – os grandes mineradores aproveitaram o descontentamento – inflamar um movimento.
A liderança do movimento foi assumido por Felipe dos Santos – tropeiro – ligado ao contrabando de minérios. O tropeiro, com um exército de dois mil homens organizado e comandado por ele, foi até o conde Assumar, lista contendo 18 reinvidicações dos mineiros.
Em um primeiro momento, o governador pareceu aceitar as reinvidicações  dos  mineiros.Comandou uma força de 1.500 soldados que invadiu Vila Rica. Todos os envolvidos na rebelião foram presos. O mineiros ricos foram mandados de volta para Portugal.
Os líderes que pertenciam às camadas pobres foram codenados à morte. Felipe dos Santos foi executado e seu corpo, esquartejado e arrastado pelas ruas de Vila Rica.
Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana
A Crise do Antigo Regime – Um conjunto de acontecimentos – como a decadência  do absolutismo – iluminismo – Revolução Industrial. Independência dos Estados Unidos – Revolução Francesa e a Era Napoleônica.
Principais Movimentos. O de maior importância foi a Inconfidência Mineira, 1789. O crescente abuso do fiscalismo na região aurífera, acirramento da dominação político-militar lusa.
Os conjurados eram despreparados militarmente e tinham  certa inconsistência ideológica. Nos planos: ideal emancipacionista, forma republicana de governo – não queriam acabar com a escravidão
Libertas Quae Sera Tamen – ideal iluminista. As influências das idéias liberais – Independência dos Estados Unidos – os estudantes brasileiros na Europa. Com o declínio da produção aurífera nas Minas Gerais, a Coroa portuguesa – dificuldades financeiras – controlar com mais rigor a cobrança de impostos. Do conflito de interesses entre a Coroa e os mineiros surgiu a Inconfidência Mineira.
O Movimento foi organizado por pessoas que pertenciam à elite.
Havia membros do clero, militares de alta patente, donos de minas e comerciantes de minérios. Muitos tinham grandes dívidas com o fisco metropolitano.
O movimento era emancipacionista  – Minas Gerais e Rio de Janeiro um novo país – não é claro pretendiam abolir a escravidão – inconfidentes – crime de lesa majestade. Tiradentes, sobre que caiu a culpa de ter organizado a rebelião – executado na forca – esquartejado.
Conjuração  Baiana ou dos Alfaiates (1798) – No final do século XVIII, a cidade de Salvador vivia uma situação de grave crise social e econômica – população sofria com a falta de alimentos.
O ideário político dos jacobinos e dos sans-cullotes, presentes na Revolução Francesa, exercia especial fascínio sobre as camadas populares. Diferentemente – Minas Gerais – a Conjura Baiana foi um movimento organizado, liderado e protagonizado pelas classes populares.
No dia 12 de agosto de 1798, os conjurados colaram em locais públicos um manifesto com os principais objetivos da rebelião, no qual informavam que o movimento teria início no dia 20. Líderes do movimento: Cipriano Barata, Francisco Muniz, Pe. Agostinho, Hemórgenes de Aguiar  – das camadas populares João de Deus e Manuel Faustino.
 Diferenciou dos demais: caráter social, igualdade racial – participação dos mulatos e negros.
Em 1799, todos foram presos –  membros das camadas simples foram enforcados.
Conspiração dos Suaçunas – movimento de emancipação – Pernambuco em 1801 – intelectuais e padres – membros do movimento foram presos – depois foram soltos.
Ainda em Pernambuco, em 1817 – Revolução Pernambucana – com tendência Republicana e grande participação da Maçonaria. Líderes: Domingos José Martins, José de Barros Lima, os padres Miguelino e João Ribeiro.

Marques de Pombal
  
O Despotismo Esclarecido
Estimulados pelos filósofos – príncipes –
prática as novas idéias – governar de acordo com a razão.
Prússia, Frederico II –  Voltaire – liberdade de culto e ensino  – Rússia, Catarina II – franceses – liberdade
de culto e desenvolvimento da educação.
As 
Reformas Pombalinas
Pombal – secretário de Estado do rei D. José I
– homem forte – se aproveita da fraqueza do absolutismo português
Iniciou – política das companhias – protegendo
os empresários portugueses – org. 
Monopolistas.
A Política Econômica Mercantilista
Pombal não poupou a Companhia de Jesus –
atentado contra o Rei. Jesuítas acusados – expulsão dos mesmo de Portugal e do
Brasil.
Pombal – criou o estanco dos diamantes. Exploração
de pedras preciosas – restrito a Diamantina.
Instituiu o sistema de quotas anuais de 100
arrobas – criou a derrama
Neutralizou a influência da Inglaterra.
Renascimento Agrícola
 
Revolução Industrial: exigência maior produção
de matérias primas, como algodão – ganha espaço com a decadência da mineração. Principais
Produtos de Exportação  – Algodão – para
indústria européia – Maranhão, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro. O açúcar –
decadência das lavouras das Antilhas
O Tabaco – era utilizado para o escambo –
negros da África – Bahia e Maranhão.
Cacau – atividade extrativista – praticadas nas Capitanias do Pará e Rio
Negro – introduzido na agricultura na Bahia e Maranhão. Café – introduzido no
início do século XVIII na baixada Fluminense e Vale do Paraíba.
Início do século XIX, já representava 18% exportações.
Atividades Subsidiárias: Agricultura de subsistência – mão-de-obra era
livre – mandioca, milho, batata, cará e arroz.  Indústria Colonial:  No interior de Minas Gerais, XVIII – indústria
artesanal – No litoral Rio de Janeiro e Bahia – manufaturas. Indústria  de 
tecidos,Metalurgia e a ouriversaria. 1785, a rainha D. Maria I
 – Proibição Industrial. 
Independência Norte-Americana – Trezes Colônias Inglesas – 1776
Colônias do norte: povoadas por refugiados políticos – religiosos,
pequenas propriedades e trabalho pago.
Colônias do centro: região mais urbanizada. Colônias do sul: possuíam
grandes propriedades rurais e trabalho escravo. Produziam algodão, fumo e
arroz.     Até o século XVIII, essas
colônias viveram com certa liberdade.  
Colonização inglesa na América
No século XVI, Portugal e Espanha eram as mais importantes potências da
Europa, detentoras da descoberta do Novo Mundo.
Os territórios considerados menos valiosos aos interesses ibéricos foram
relegados.
Coube à Inglaterra, no século XVII, 
a colonização da costa litôrania atlântica do atual território do Estados
Unidos.
Devido a conturbada situação política e religiosa na Inglaterra –
provocou a fuga de dissedentes puritanos. Vinha com a finalidade de fixar-se,
sem o espírito aventureiro.
A mudança na política colonial
França e a Inglaterra – 1756 – Guerra dos Setes Anos. Os colonos
ingleses  lutaram contra os franceses e
seus aliados indígenas, o que despertou um sentimento de autoconfiança. Pela
primeira vez – as Treze Colônias uniram-se em torno de um ideal comum. A
Inglaterra saiu vitoriosa do conflito contra a França – uma forte crise – gastos
da guerra. Em 1764, promulgou a Lei do Açúcar, que estabelecia uma taxa sobre o
melaço.  
A mudança na política colonial  – Em
1765, foi aprovada a Lei do Selo, pelo qual os jornais, revistas, baralhos e
livros pagavam impostos. Em 1767 os ingleses impuseram o monopólio de
comercialização do produto à Companhia das Índias Orientais.   
O processo de independência
As Leis provocaram a convocação do Primeiro Congresso da Filadélfia –
1774.
Uma petição foi enviada ao Parlamento britânico solicitando a revogação
das leis. Em 1775, Segundo Congresso – quando oficialmente foi declarado a
Guerra – George Washington.
Em 4 de julho de 1776, foi publicada a Declaração de Independência, por
Thomas Jefferson que se baseou nas idéias iluministas.
Após a vitória inglesa nas primeiras batalhas – os americanos receberam
apoio da França e da Espanha. Na Batalha de Yorktow, os ingleses foram derrotados.
 Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 6 – Tema: Dom João no Brasil 
Conjuntura Européia – Tratados Comerciais Desfavoráveis –  1703 – Tratado de Methuen ( Panos e Vinhos).
Transmigração dos Braganças
Às pressões francesas para Lisboa aderisse ao Bloqueio, visando impedir a entrada de produtos ingleses na Europa. Às pressões inglesas – manter Portugal como aliada. Às propostas dos partidários do Império do Ocidente, liderados por Rodrigo de Souza Coutinho – desde há muito tempo, a idéia de tornar a sede da administração Lusitana. A política Napoleônica – o Bloqueio Continental.
Política Econômica Joanina
D. João pressionado pelos ingleses e pelo teórico econômico José Maria da Silva Lisboa, visconde de Cairu, tomou medidas econômicas liberais de cunho fisiocrático. Abertura dos Portos às Nações Amigas – Alvará de Industrialização.
A Política Externa Joanina – Invasão da Guiana Francesa em represália à ocupação bonarpatista de Portugal – Elevação do Brasil à condição de Reino Unido – Ocupação da Cisplatina – Uruguai.
Progressos Econômicos – Pecuária – Lavoura – Fábricas – Banco do Brasil – Restauração Européia –   Queda de Napoleão –  Brasil Elevado à Reino Unido – 1815 –   Congresso de Viena.
Revolução Pernambucana – 1817
A manutenção da Corte no Rio de Janeiro resultou em um significativo aumento de impostos – insatisfação em toda a Colônia –  Pernambuco – castigada  – seca. Paraíba , Pernambuco , Rio Grande do Norte e Ceará
8 de março dominaram Recife – governo provisório.
Não ocorreram mundanças na estrutura social – caráter elitista – enfraqueceu o movimento – 19 de maio de 1917. O Início da Preponderância Inglesa no Brasil. Assinatura dos Tratados de Comércio e Navegação e o de Aliança e Amizade.
Tratado assinado em 1810 –  Pontos importantes do Tratado
Tarifa de 15% para mercadorias inglesas e 24% para os demais países – Nomeação de Juízes – Liberdade Religiosas para os ingleses – Tribunais do Santo Ofício – Proibidos – Extinção Gradual do Tráfico Negreiro – Cessão da Ilha de Santa Catarina aos ingleses.
A Revolução Liberal do Porto e o Retorno de D. João – 24 de agosto de 1820 – Revolução do Porto – 26 de abril de 1821 – Volta para Portugal.

Objetivo MA+S – História Geral – Prof. Aleks Von Palitot


FICHA Tema: Independência do Haiti e dos Vice-reinos e capitanias gerais


O processo emancipacionista da Ilha Espanhola é um caso a parte. O Haiti foi ocupado pelos espanhóis no âmbito da política colonial.


Quando Cortéz descobriu as minas do México o Haiti perdeu a importância – passou ser atacada pelos franceses, ingleses e holandeses.


Pelo Tratado de Ryswick, em 1697, a Espanha reconheceu a presença francesa na parte ocidental da Ilha Espanhola.
Nessa região, os franceses haviam feito florescer uma rica colônia, Saint-Domingue, produtora de açúcar, café e cacau.


No caso da independência do Haiti, pesou a participação dos escravos – exceção. As lutas foram obras do negros libertos e escravos e não da elite local.
Ainda no século XVIII, desencadeou-se uma série de revoltas de escravos, 1754 liderada por um escravo Mackandal, que aterrorizou os brancos com a guerrilha e o vodu.


Em 1758, Mackandal foi preso e queimado na fogueira sob acusação de feiticeiro.
Vicente Ogé, mestiço, em 1791 iniciou um movimento de rebeliões de feições socioeconômicas.


O Movimento
Em 1788 subiu ao trono Carlos IV e, no ano seguinte ocorreu a Revolução Francesa, que ao pregar a liberdade e a igualdade levou os escravos a se rebelarem.
Em 1794 a França decreta a abolição da escravidão, Toussaint Louverture que era opositor dos franceses muda de postura.
O Tratado de Basileia de 1795, assinado entre França e Espanha, entregou aos franceses o domínio sobre a Ilha, mas os mesmos não tomaram a posse efetiva.
No ano de 1801, Toussaint declarou independente toda a Ilha e fim do escravismo. Em janeiro de 1804, declarada a independência da ilha é consolidada do lado francês.


República Dominicana (São Domingos)


Quando Napoleão invadiu a Espanha, em 1808, o lado oriental da ilha, de população espanhola, liderado por João Sánches – contra os franceses, reincorporando-se à Espanha.
Novembro de 1821, São Domingos declarou a independência em relação a Espanha.
Emancipação das Américas


As Lutas de San Martín e Bolivar


1 .Chile – Enquanto se desenvolviam os movimentos de independência – América Espanhola – Chile posição peculiar – isolado geograficamente. As idéias liberais – dificuldade – isolamento

Emancipação das Américas
Em 1808, o Chile forma a Junta Governativa, liderada por Bernado O´Higgins, declarando-se independente. Em 1814, os espanhóis reagiram – voltando controlar a região.
San Martín , em 1817 libertou o Chile e entregou o poder ao Bernado O´Higgins .
A conquista definitiva do Chile só viria em abril de 1818, após a derrota espanhola na Batalha de Maypu.
Entre 1820 e 1823, foram elaborados cinco Constituições. Em 1833 – última delas – previa um Estado forte, centralizado e autoritário.
Peru – Em 1817 , San Martín partiu do Chile em direção ao Peru – Estratégia consistia em um ataque militar por terra e mar. A ofensiva por terra, foi liderada por Martín, sitiou a cidade de Lima – foco da resistência espanhola.


Por mar – Lorde Cochrane bloqueou o Porto de Callao.
Em 1821, San Martín declarava a independência do Peru. A vitória definitiva ocorreu em 1824, na Batalha de Ayacucho, liderada por Antonio José de Sucre.


Bolívia


A Bolívia era conhecida – Alto Peru – importante para a metrópole – prata. Em 1824, ocorreu a Batalha de Ayacucho, liderada por Sucre, que no ano seguinte libertou o Alto Peru.
Sucre adotou uma Constituição autoritária e centralista, tornando-se presidente em 1826.Foi deposto em 1828, revolta nacionalista liderada pelo general Augustín Gamarra, que entregou o poder a Andrés Santa Cruz. No ano de 1837, O Congresso de Tacna levou a formação da Confederação do Grande Peru – Peru e Bolívia. Foi atacada pela Argentina e Chile- derrotados em 1839 – separação dos países.


Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   

FICHA 7 – Tema: Independência ou Morte?
A Marcha para a Independência  – Abril de 1821, Brasil governado por um Príncipe Regente. Portugal tenta reconduzir o Brasil à antiga condição – Determinações para D. Pedro voltar – Portugal em   9 de dezembro de 1821.
O Rompimento –  Dia do Fico – 9 de janeiro de 1822 – D. Pedro assumiu o partido brasileiro – cria um novo  ministério  – Em março tropas portuguesas foram impedidas de entrar no Rio de Janeiro. 13 de maio D. Pedro recebe o título – Defensor Perpétuo.
José Bonifácio –  cria Atos; Cumpra-se – Assembléia Constituinte
Preocupação com as Revoltas na América – 7 de setembro de 1822  Grito do Ipiranga – Monarquia Imperial – Reconhecimento da Independência.
Em lugar da República, uma Monarquia –  As classes mais ricas temiam a criação de uma república que tivesse a participação de grupos populares no poder.
Existia o risco de fragmentação do território em pequenas repúblicas, como estava acontecendo nas antigas colônias espanholas. Nesse sentido, o governo monárquico aparou várias disputas regionais que poderiam ter provocado a ruptura da unidade territorial.   
O Brasil é um Império –  A Guerra da Independência –  As tropas portuguesas ocupavam Bahia, Piauí, Maranhão, Pará e Cisplatina – não reconhecem  – Salvador – Resistência Lusitana foi mais forte, Brigadeiro Madeira de Melo –  Os que eram a favor da Independência  foram hostilizados  e perseguidos – Madre  Joana Angélica – assassinada.
Coroado Imperador do Brasil – Elaborar uma Constituição – Antônio Carlos de Andrada – Constituinte que limitava os poderes do Imperador. Dom Pedro I cerca o Parlamento e ameaça os membros. Dissolve a Constituinte e outorga uma 1824 – Noite da Agonia – Presos políticos.
D. Pedro I convoca um novo ministério  – Em 1823 – Queda dos Andradas – Nova Constituição – Ministério dos Portugueses.
A Carta de 1824 estabelecia,O Brasil tornava-se uma monarquia constitucional hereditária; O Cargo de senador era vitalício; Vigorava o voto censitário, baseado na renda dos eleitores; A religião oficial era a católica e a Igreja ficava submetida ao Estado. Confederação do Equador ,Pernambuco – 1824 –  2 de julho de 1824 – Frei Caneca – Cipriano Barata.
Após a imposição da Carta de 1824, a elite rural pernambucana e as camadas médias urbanas uniram-se pela independência. Em agosto, a confederação já englobava Pernambuco, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e o interior do Piauí. Participação de vários intelectuais – sobretudo jornalistas Cipriano Barata do Jornal Sentinela  da Liberdade – preso e levado ao Rio. Frei Caneca dirigia  Jornal Tífis Pernambucano ,também foi preso e depois executado.
Guerra das Cisplatina – Argentinos – Uruguai Juan Antonio Lavalleda. Em 1816 D. João VI domina a região do Prata – enviando tropas para Montevidéu – ocupando militarmente e anexando a região. Em 1822  seus habitantes não aceitaram o domínio português nem brasileiro – 1825 tornam-se independente.Em 1826, João VI morreu, e Pedro I, herdeiro da Coroa portuguesa, viu-se envolvido em uma guerra com seu irmão Miguel, que tentava usurpar o trono. Além desse fato, animosidade entre portugueses e brasileiros tornava-se cada vez mais séria e chegou ao seu limite na Noite das Garrafadas, em 12 de março de 1831.
Grupos dos dois lados sem enfrentaram nas ruas do Rio de Janeiro. D. Pedro I abdicou ao Trono em 1831 – ao seu filho D. Pedro de Alcântara II – 5 anos de idade.  
Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 8 – Tema: Período Regencial
Uma Experiência Republicana? A Renúncia de D. Pedro I – está enraizado em dois elementos:   a crise econômico-financeira e as divergências políticas. O Período das Regências – tempo de transição em vários sentidos:  Uma Experiência Republicana?
Superação dos conflitos sociais, pela preservação da ordem social tradicional; superação da ameaça de ruptura da unidade política-territorial do país. Três correntes políticas – primeira fase regencial: Os restauradores, os moderados e os exaltados.
Organização das Regências – No momento da abdicação, estando os deputados em férias, formou-se a Regência Trina Provisória – até 17 de julho de 1831.
Senador Campos Vergueiro (liberal) – Carneiro de Campos (conservador) – Francisco de Lima e Silva (militar)
Concedeu anistia aos presos políticos, reintegrou o ministério dos brasileiros – Promulgou a Lei da Regencial de abril de 1831, que limitava os poderes dos regentes. 
A Regência Trina Permanente – Composta através de eleição: Bráulio Muniz – Costa Carvalho – Francisco Lima e Silva – Na Pasta da Justiça – Padre Feijó. Criação da Guarda Nacional e a Promulgação  do Código do Processo Criminal.
O Ato Adicional de 1834: o avanço liberal –  Com a reforma da Constituição de 1824 – ocorreu a supressão do Conselho de Estado; criação de Assembléias. Legislativas Provinciais; transformação da Regência Trina em Regência Una e criação do município neutro do Rio de Janeiro.
As Regências Unas  – O Padre Feijó foi eleito – 1836 – vitória apertada – antecipava as dificuldades de seu governo. Foi acusado de pactário com o federalismo dos farroupilhas gaúchos.
O seu governo tornou-se insustentável – quando os seus opositores regressistas (antigos liberais moderados) liderados por Bernado Pereira de Vasconcelos, conseguiram a  maioria na Câmara. Feijó renunciou em setembro de 1837 – Os regressistas assumiram o governo.
Pedro de Araújo Lima
Pedro de Araújo – chamou para o gabinete Bernado Pereira, líder da oposição  a Feijó, formando o Ministério das Capacidades. Surge duas Correntes partidárias. * regressista ( Partido Conservador) e * progressista ( Partido Liberal).
Conflitos continuaram – era preciso parar o carro da revolução. Em 23 de julho de 1840, o Golpe de Maioridade pôs um ponto final ao período regencial.

  
Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 9 – Tema: Rebeliões Regenciais
Revolução Farroupilha – Guerra dos Farrapos – 1835-1845 – Rio Grande do Sul.
 Movimento elitista – Caráter republicano e separatista – República Rio Grandense – Motivos econômicos: Charque gaúcho efeitos das práticas  fiscais do governo regencial.  Determinações da Regência colocavam     a   pecuária    gaúcha   em   competição desvan-tajosa com a Platina. Bento Gonçalves, Giuseppe Garibaldi e Davi Canabarro – A guerra acabou com a assinatura de um acordo Paz de Ponche Verde.
Giuseppe Garibaldi – Italiano – Marinha da Revolução – construir navios. Anita Garibaldi – heroína na Unificação Italiana. 
A Cabanagem – 1835-1840 – Pará
Revolta de caráter popular e radical – Membros  do  movimento eram moradores de pequenas cabanas.
Faziam parte do movimento : negros, índios, mestiços escravos , homens livres, comerciantes e ribeirinhos.
Em 1835 dominam a capital da província, Belém. Formaram um governo autônomo mas fiel a monarquia – Principais líderes eram  Eduardo Agelim e os irmãos Francisco e Antônio  Vinagre  O movimento  até 1840 – saldo  30 mil  mortos.
A Sabinada – 1837-1838 – Bahia – Movimento organizado pelas camadas médias urbanas: comerciantes , profissionais liberais, oficiais militares e o povo. Caráter elitista- popular – liderado pelo médico Francisco Sabino.
Caráter Federalista  –  Fundaram a República Bahiense em 1837 – Foram derrotados pelas tropas legalistas em 1838.
A Balaiada – 1838-1841 – Maranhão – As hostilidades entre grupos rivais da aristocracia rural e as lutas partidárias entre bem-te-vis(liberais) e conservadores induziram  a uma rebelião. Movimento composto por;  lavradores, vaqueiros, tropeiros , artesãos, negros , índios e mestiços.
Caráter popular e separatista provisório – até a Maioridade de D. Pedro II.  Seus líderes eram; Manuel Ferreira, Raimundo Gomes Vieira e Cosme Bento das Chagas. Queriam o fim da Guarda Nacional, a  expulsão dos comerciantes portugueses e transformações sociais.   

 
Objetivo MA+S – História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 10 – Tema: Economia Cafeeira
O Desenvolvimento da Lavoura Cafeeira – Ampliação do consumo na Europa – XIX – Cresce no interior fluminense e Vale do Paraíba – Zona da Mata Mineira.
Os recursos existiam – Econômicos – Sociais – Lavoura tradicional – Problemas com a mão-de-obra -Pressões inglesas para o fim do tráfico negreiro –  escravidão incompatível com o capitalismo liberal – Solução introdução do tráfico livre europeu.
Imigração Européia – Sistema de Parceria,vinda de colonos europeus – A 1ª experiência foi feita pelo senador Nicolau Campo Vergueiro – 80 famílias.
Problemas de relação – Os maus tratos e as péssimas condições de vida.  Escravos brancos – as notícias chegam a Europa – Governo da Prússia. O trabalho assalariado – São Paulo faz política de imigração.
A Lei de Terras – acaba – Sonho do Imigrante de ser dono de terras. Em 1850 – parlamento imperial aprovou a lei de terras – pela compra  – Os colonos se sujeitam a baixos salários.
Transformações Sociais – Surgimento do Mercado de trabalho assalariado – Aparecimento uma nova aristocracia – investimentos e  mentalidade empresarial.
Indústria e Urbanização do Império * Origens da indústria – divisão internacional de trabalho – Economia cafeeira – acumula capital – Irineu Evangelista – Barão de Mauá.
Grandes empreendimentos – Construção Naval – Produção de Máquinas – transportes ferramentas agrícolas – bancos. O sucesso de Mauá – capital inglês – Tarifa Alves Branco.   
Falência de Mauá – 1875 – A entrada maciça de produtos ingleses. Endividamento das empresas
Sabotagens em seus negócios.
Questão Christie – Foi uma reação do Brasil ao imperialismo britânico – rompimento diplomático.
 Motivos que serviram de pretexto – A lei de 1831 – que não era cumprida – A recusa de renovar o  tratado de 1827.
A Tarifa Alves Branco que aumentou as taxas sobre produtos estrangeiros – o Bill Aberdeen – repressão ao tráfico negreiro de 1845. Caso do Sir Wiliam Christie. A  carga de um navio inglês havia sido roubada no Brasil. A prisão de dois marinheiros ingleses de fragata no Brasil. 1865 – Reatamento das relações.
Revolução Praieira (1848-1849) Ocorreu em Pernambuco, viva em uma crescente crise econômica – problemas da concentração fundiária. Nas cidades, os portugueses – monopólios sobre as atividades, comércio.
O movimento – defesa de uma política social mais justa. Os liberais divulgavam suas idéias no jornal Diário Novo, cuja redação ficava na rua da Praia – o grupo passa a se chamar Partido da Praia.
Líder do movimento armado foi, republicano Pedro Ivo Silveira. Os praieiros queriam a expulsão dos portugueses e a nacionalização do comércio , a extinção do Poder Moderador, a liberdade de pensamento e o direito ao trabalho. 


História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 13 Tema: Regime Militar 
 
Regime Militar no Brasil  – Marechal Castelo Branco (1964-67)  –  Eleito pelo Congresso de forma indireta -Cassou mandatos e cassou direitos políticos, Extinguiu os partidos políticos através do Ato Institucional nº 2.  ARENA  –   MDB.
Em 1967 foi promulgada a Constituição; Centralização Política * Presidente eleito pelo colégio eleitoral * Legitimava o ato de governar através de decreto-lei.
Ainda no Governo Castelo Branco – Ato Institucional nº 1 ; Assegurava ao novo governo instituído os meios indispensáveis para garantir a segurança nacional. Pontos fundamentais do AI- 1.   Eleições Indiretas, decretar estado de sítio quando deseja-se , permitia aos militares a cassar os direitos políticos até 10 anos.
General Costa e Silva – (1967-69) – Foram criados no seu Governo novos Ministérios: Transportes, Comunicações e Interior.
•          Para fortalecer o poder central criou  AI-5 . Modificou a Constituição de 1967, fortalecendo ainda mais o seu poder;
•          A Chamada Constituição do Terror foi imposta pela Junta Militar;    
Características da Constituição do Terror – Por essa emenda foram acrescentado 58 artigos; Mandato presidencial de 5 anos
   – Confirmação dos Atos Institucionais    – Eleições indiretas para governador    – pena de morte para os casos de guerra revolucionária  – número de deputados calculado de acordo  com o eleitorado , e não mais com a população.  
General Emílio Garrastazu Médici ( 1969- 1974) – No seu governo registrou um alto índice de popularidade. Ocorreu em virtude do desenvolvimento industrial e econômico.
Nesse período o Brasil era a imagem criada pelo Estado de um país de grande progresso. Por isso Brasil , ame-o ou deixe-o.
Terrorismo de Esquerda e repressão – Linha Dura do Exército na repressão acabou por incentivar a alternativa da luta armada pelos opositores. Inspirados por Che-Guevara.
No Araguaia os comunistas do PC do B criam um foco de guerrilha, José Dirceu e Genuíno. ALN seqüestrou o embaixador  norte-americano Charles Elbrick, exigindo a libertação de presos políticos.
Crise financeira; Fim do Milagre  Econômico- Crise do Capitalismo – Processo Abertura Política; Gradual e lenta, – Durante seu governo foram feitas eleições para o Congresso.
Nesse pleito verificou-se expressiva vitória do MDB, a oposição conseguiu 160 cadeiras no Congresso contra 204 da Arena.
A censura a imprensa foi suspensa. Em virtude das pressões do MDB quanto a morte do jornalista Vladimir  Herzog, nas dependências do II Exército de SP.
Pacote de Abril de 1977 –  Fechou novamente o Congresso –  Cassou o mandato de parlamentares –    Favoreceu plenamente o Presidente  e seus aliados nos Estados.
Retomada da abertura política – Continuou sendo gradual – Revogou o Ato Institucional nº 5 – Com isso o presidente não poderia decretar recesso  do Congresso, cassar mandatos, demitir ou aposentar funcionários e privar os cidadãos de seus direitos políticos.                                  
General João Figueiredo (1979-1985) – Continuação da abertura política – Ao assumir a Presidência, o general  deu  continuidade ao processo de  abertura política.
General João Figueiredo (1979-1985) – Nesse quadro que se inserem a  aprovação da Lei da Anistia e a nova Lei de Elegibilidade.    Aprovou com o congresso a reforma –  partidária –   Surgindo vários partidos      

História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 11 Tema: Republica Velha ,Cangaço, Canudos e outros movimentos 
O Poder das Oligarquias – A  Segunda   Fase   da  República – ascensão de Prudente de Moraes  –  República das Oligarquias
Aspectos Gerais da República Oligárquica
          O Brasil encontrava-se em grandes dificuldades econômicas em 1899 – dívidas herdadas do Império.
          Governo de Campos Sales (1898-1902) assinou com os banqueiros de Londres um acordo – 1898  funding-loan – renegociou por mais 63 anos.
          Em 1906, os governadores de São Paulo, Minas  e Rio assinaram o Convênio de Taubaté – definiram medidas econômicas com o governo federal para proteger o preço do café.
Política dos Governadores –  Campos Sales –  Acordo entre o Presidente e os Governadores  * Política Café-com-Leite – São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Acordo de Revezamento na Presidência. * Coronelismo – Base do esquema partidário – nos municípios Chefes Políticos locais coronéis – voto cabresto.
Voto Aberto – declarado – Processo Eleitoral Fraudulento  –  Candidato era indicado pelo Presidente em Exercício – Máquina Eleitoral.
Campanha Civilista
          Em 1910 a oligarquia gaúcha lançou Hermes da Fonseca para presidência, apoio de Minas Gerais.
          São Paulo apoiou Rui Barbosa do Partido Republicano da Bahia que lançou a Campanha Civilista – contra a ameaça do autoritarismo.
Movimentos Sociais
* República atende apenas os interesses das oligarquias
– A grande maioria ficou marginalizada – Provocando várias formas de protestos * A Imprensa – protesto das camadas urbanas – criticavam o processo eleitoral e o poder dos coronéis.
Os movimentos Religiosos
Canudos – Antônio Conselheiro – a salvação através do abandono material
Casamento Religioso e Civil  – Separação da Igreja do Estado – Miséria da população – Cobrança de Impostos
Antônio Conselheiro 1893 estabeleceu-se no sertão Baiano, no Arraial de Canudos na  cidade Belo Monte.
Muitos, esfomeados, vivendo as amarguras da vida no Sertão, atentaram para o projeto de criar uma comunidade – igualdade entre todos. Com discursos messiânicos e contrários a República. Atraiu muitos para lá, ameaçando o trabalho nas fazendas e até mesmo o poder da Igreja.
A comunidade prosperou – se tornou a 2 ª maior cidade da Bahia – Vivia de trocas com as cidades vizinhas
 Os miseráveis, camponeses, prostitutas, ladrões, negros e sertanejos – fugiam para lá
 O Cangaço – a palavra vem da canga, que é o conjunto de arreios que amarram o boi ao carro. Os cangaceiros usavam as correias cruzadas no peito, lembrando a canga de boi. O Cangaço – modo de vida – faziam saques a armazéns, assaltos a fazendeiros com o objetivo de fazer justiça com as próprias mãos.
O Cangaço – Era a resposta contra a violência dos coronéis que lhe era imposta no sertão. Regiões de conflito – Ceará, Pernambuco e Paraíba – 1º Rei do Cangaço – Antônio Silvino A partir de 1922 – Virgulino Ferreira o Lampião
O Cangaço perdeu força, chegando praticamente ao fim em 1938, quando o bando de Lampião foi emboscado e massacrado na cidade de Angicos, em Sergipe. Museu Nina Rodrigues – 1968.
Corisco, o Diabo Loiro, um dos principais companheiros de Lampião, não estava em Angicos no dia do massacre.
Ele já havia formado o próprio bando e jurou matar todos os envolvidos na morte de Lampião. Matou um suposto delator, a mulher e os filhos, degolou-os e enviou as cabeças para o prefeito de Angicos.
No ano seguinte à morte de Lampião, as autoridades do Nordeste prometeram garantia de vida a todos os cangaceiros que se entregassem à polícia. Vários aceitaram a proposta, fazendo o movimento perder força.
Revolta da Chibata
          Trabalho excessivo aos marinheiros, alimentação insuficiente  – Salários baixos e castigos físicos –Chibata
Durante treinamento na Inglaterra – diferença no tratamento. Em 16 de novembro de 1910 – Hermes da Fonseca – o marinheiro negro Marcelino Menezes – 250 chibatadas no Minas Gerais.
Os marinheiros se rebelaram  – Líder do movimento – João Cândido  – Os marinheiros assassinaram o comandante Batista Neves – presidente – acatar as reivindicações – depusessem armas.
Revolta da Vacina
No início do século XX  – Rio de Janeiro  –  Problemas: Rede insuficiente de água e esgoto, coleta de lixo precária e cortiços.
Doenças: tuberculose, sarampo, tifo, hanseníase, febre amarela e varíola. Presidente – Rodrigues Alves – Oswaldo Cruz – projeto sanitário.
Oswaldo Cruz – reforma urbana  – Demolições dos velhos prédios e cortiços – dar lugar avenidas, edifícios e jardins.
Pessoas foram desalojadas – morar em morros. A população – confusa e descontente – perderam suas casas e seus lares invadidos. Jornais criticavam ação do governo – boato da vacina – partes íntimas – estopim para a revolta.
Guerra do Contestado
No Sul do País – área em disputa por Santa Catarina  e Paraná. Em 1900 o governo desapropriou terras  centenas de camponeses – estrada de ferro. Se instalou na região além da ferrovia a Madereira S. Lumber – milhares de trabalhadores em regime de semi-escravidão. Em 1906, as obras da ferrovia – suspensas, e os trabalhadores entregue a própria sorte.
Então apareceu um homem, dizendo-se herdeiro espiritual do monge João Maria, um beato – que há dez anos pregava na região – adotou o nome de José Maria – seguidores.
José Maria fundou a vila Curitibanos ( Santa Catarina), que atraiu inúmeros camponeses – incomodou os coronéis ervateiros – pediram ajuda do Exército. José Maria foi morto no conflito, apesar disso, os seguidores continuaram na região.
Os camponeses continuaram no combate, seguindo conselhos e visões – menina de 15 anos, Maria da Rosa, e do menino de deus Joaquim, de 11 anos que se dizia porta voz de José Maria. Armas até então nunca usadas no Brasil como o avião, estiveram em ação. De 1914-16 – lutas terminaram 20 mil pessoas mortas e 9 mil casas queimadas.
A greve de 1917
São Paulo,  em junho começou uma nova greve no setor têxtil – julho  – cerca de seis mil trabalhadores parados.
Governo paulista reprimiu o movimento, policiais atiraram e mataram um trabalhador.
A greve se generalizou – paralização de 70 mil trabalhadores.
Entre as reividicações, Queriam a redução da jornada de trabalho para 8 horas. 35 % de aumento – salários mais baixos.
Proibição  do trabalho de menores. Congelamento dos preços do alimentos. Redução dos alugueis em 50%.
Os patrões não estavam dispostos a aceitar as reivindicações. Criada uma proposta intermediária: aumento salarial de 20% e garantia de que os grevistas não seriam demitidos – 15 de julho – fim.









História do Brasil – Prof. Aleks Von Palitot   
FICHA 12 Tema: Era Vargas até Jango



Crise do Estado oligárquico e Revolução de 1930:   O enfraquecimento da Lavoura Cafeeira

  – crise econômica mundial de 1929  – os Estados Unidos e demais países    diminuíram 70% das importações  brasileiras.

  – os estoques de café aumentaram – os preços baixaram como nunca  – aumento do desemprego.

A Revolução de 1930 –  As eleições para escolher o substituto de Washington Luís ( Café com Leite) – 1930  Júlio Prestes – candidato do governo – mineiros insatisfeitos – Getúlio Dorneles Vargas (Rio Grande do Sul) – Aliança Liberal – João Pessoa
( Paraíba).


Aliança Liberal defendia;  O voto secreto – salário mínimo – diminuição das horas de trabalho. Criação de leis trabalhistas para regulamentar o horário de trabalho de mulheres e crianças.
A Aliança Liberal perde as eleições: Vencedor das eleições –  Júlio Prestes – fraudes – Os deputados que apoiavam Washington Luís – promoveram a degola – revolta.   No dia 25 de julho – João Pessoa foi assassinado.


3 de outubro estourou a Revolução – Rio Grande do Sul – espalhou-se rapidamente pelo  Brasil. No 24 de outubro , os militares do Rio de Janeiro, liderados pelos Generais Mena Barreto e Tasso Fragoso, e pelo Almirante Isaías de Noronha, depuseram o presidente.  No dia 3 de novembro, o governo da República foi entregue a Getúlio Vargas.


A Reação dos Paulistas- Assim que assumiu o governo, Getúlio Vargas suspendeu a Constituição – substituiu os governadores por interventores – Dissolveu o Congresso Nacional.
A oligarquia cafeeira paulista, afastada, do comando do país pela Revolução de 30 estava descontente – forte oposição ao governo de Getúlio Vargas. A nomeação de João Alberto para governar São Paulo deflagrou uma Revolta.
Revolução Constitucionalista – Oligarquia paulista queria o fim – do Governo de Getúlio e a convocação de uma Assembléia Constituinte. Frente Única – Partido Republicano Paulista e o Partido Democrático.


Em 23 de maio de 1932, os estudante paulistas de direito Martins, Miraguaia, Dráusio e Camargo (MMDC) morreram em manifestações contra o governo Federal. 9 de julho estourou a Revolução – comando de Isidoro Dias Lopes – depois assume Bertolo Klinger – três meses de luta.


Aliança Nacional Libertadora. Agrupava sindicalistas, socialistas, comunistas e liberais.  O levante foi denominado pelo governo de Intentona Comunista – novembro de 1935.


O Golpe do Estado Novo e Ditadura Pessoal de Vargas – A Constituição de 1937  – O fascismo legalizado – através da nova constituição chamada de ”A Polaca”. Mistura de formula fascista e nacionalista.


Predomínio do executivo: mandato de 6 anos. Disposição sobre salário mínimo, horas de trabalho e férias  – Proibia greves e instituía pena de morte.


Nacionalização dos recursos minerais, fontes de energia, bancos, companhias de seguro e indústrias de base
A palavra escrita ou oral era passível de censura.


A Criação do DASP – criado em 1938 – Departamento Administrativo do  Serviço Público – finalidade de dar ao estado um aparato burocrático    DIP – Departamento de Imprensa e     Propaganda