Expedição Guaporé Objetivo: Dez anos de Histórias e Aventuras

Ainda me recordo das aulas de história nos anos 80 na minha antiga escola Dr. Grangeiro. O Professor Jorge Guimarães se esforçava em tentar nos mostrar um desenho rabiscado no quadro negro com giz branco; uma planta baixa que formava o então Real Forte Príncipe da Beira. Na simplicidade do ato, no esforço de fato e na inspiração de sua aula, éramos convidados a viajar no tempo para lembrar o passado glorioso dos homens que enfrentaram a Amazônia para construir o maior forte do Brasil no coração da floresta. E com um coração batendo forte, o mestre, com recursos áudio visuais limitados, conseguia com muita emoção e vivacidade, fazer com que cada um dos seus alunos enxergassem aquela história, e entendessem a importância do patrimônio Histórico de Rondônia. Ali foi plantada a semente, e escolhi para minha vida, fazer o máximo para trilhar a história de Rondônia, levando a cada um dos meus alunos um pouco da nossa identidade.



1° Expedição Guaporé – 2002
A dez anos uma parte dessa semente germinou e nasceu uma árvore de memórias, que conta os momentos inesquecíveis que vivemos ao longo de tantas Expedições do Colégio Objetivo para Costa Marques no Guaporé. A primeira viagem em 17 de setembro de 2002 foi concretizada na base de muito sacrifício. Saímos em uma quinta-feira a noite as 21 horas e chegamos a nosso destino na sexta as 22 horas. Foram atoleiros intermináveis na BR 429, pneus furados e problemas mecânicos de toda hora, mas, mesmo com tantas dificuldades, aquela primeira turma de aventureiros liderados pelos Professores Ruzel Costa, Mônica, Laethy e Aleks Palitot, conseguiu chegar ao seu destino e puderam perceber, que se foi tão difícil chegar na localidade em pleno século XXI, imagina no século XVIII, onde os pioneiros e bandeirantes tinham obstáculos bem maiores e complexos. A recompensa de tamanha façanha foi contemplar o grande Forte Príncipe da Beira símbolo do Estado de Rondônia.
Comissão Rondon em 1911 no Forte Príncipe da Beira
Nesses dez anos de viagens, foram mais de 300 alunos que tiveram a oportunidade de conhecer a história, a geografia e a biologia bem de perto. Puderam conhecer a grande fortaleza da floresta, sua grandeza cultural e seu significado para nossa identidade. Ali uma verdadeira sala de aula a céu aberto, um convite a uma viagem no tempo, no lugar do templo histórico, palco de momentos que só vemos nas páginas dos livros de história ou em documentários. A cada aventureiro, a cada aluno, a cada aprendiz e cidadão de Rondônia foi deixado uma nova semente, que teve a real função de formar homens e mulheres amantes e defensores das nossas raízes.
Expedição Guaporé 2011 na comunidade do Forte Príncipe
Esse ano mais uma vez 33 alunos do Ensino Médio do Colégio Objetivo, das unidades Jardim América e Mangueiras vão partir no dia 29 de agosto para mais uma aventura. Homenageando a todos que à 10 anos participaram da primeira Expedição. Os professores Caio Lima de biologia, Sueli Ribeiro de geografia e Aleks Palitot de história, vão através desse projeto interdisciplinar, contribuir para o engrandecimento do conhecimento dos alunos do terceiro ano do Objetivo, onde os mesmos, terão a oportunidade de conhecer lugares como o Parque das Orquídeas e Lagoa Azul de propriedade do ativista ambiental Sr. Bernado. Poderão viver bem de perto não somente as ruínas do Forte Príncipe da Beira, mas também do Forte Conceição e da Fornalha. Além de aprender a história e a biologia em locu, vão se deslumbrar com o Rio Guaporé com suas praias e natureza exuberante. As atividades serão compromissadas também em conhecer as comunidades tradicionais, como os Quilombolas de Santa Fé, além claro, de visitarem a localidade de Buena Vista na Bolívia do outro lado do Rio Guaporé.
Expedição Guaporé 2003 – Em Buena Vista – Bolívia
O Resultado de tanto compromisso dos mestres (Sueli Ribeiro, Trindade, Ruzel Costa, Ivanor e Aleks Palitot), da direção da escola (Cidinha) e coordenação do Colégio Objetivo (Lenise Crespo, Estevana, Maria Lúcia e Isabel), traz como resultado a iniciativa de ex alunos do Colégio Objetivo, que hoje são médicos, enfermeiros, dentistas e atuam e outras áreas, a realizarem em 2013 o Projeto “Guaporé Sem Fronteiras”. Todos aqueles alunos que antes estavam dispostos a aprender sobre as realidades de Rondônia, e se formaram em parte na sua cidadania e valores, com o que viveram e observaram em Costa Marques, compartilhando das dificuldades do lugar, poderão agora contribuir retornando como cidadãos e profissionais, atuando em suas devidas áreas, partilhando de solidariedade e humanidade, levando um pouco de gratidão as comunidades tradicionais do Guaporé, com atendimentos médicos e odontológicos. Isso sim será algo a se comemorar, o fato e a capacidade que a escola Objetivo, e seu corpo docente, conseguiram contribuir para a formação do caráter de cada um daqueles que puderam conhecer a Amazônia de perto, o Vale do Guaporé. Os ex alunos irão retornar para dar aqueles que precisam, que vivem distantes dos grandes centros urbanos de Rondônia, um pouco de cidadania e humanidade. Cidadania poderia ser sinônimo de solidariedade! Mas se solidariedade não fosse palavra e sim ação? Solidariedade, fazer o bem não tem preço. Objetivo, as melhores cabeças, e os maiores corações!

Aleks Palitot
Historiador