SEGURANÇA: Linhas urbanas são alvos de bandidos

Vereador protocola pedido para reforço de segurança em eixos e pontos estratégicos

 

Após fatídico episódio ocorrido na noite de terça-feira (28), em uma linha de transporte urbano que leva estudantes universitários, o vereador Professor Aleks Palitot, um dos representantes da classe estudantil e defensor contumaz do povo portovelhense esteve na tarde desta quarta-feira (29) no terminal municipal localizado no bairro Cai N’Agua, onde conversou com estudantes, comerciantes e usuários dos serviços.

De acordo com populares, a falta de segurança nas linhas urbanas é uma constante, além do serviço ser classificado como de péssima qualidade. Os ônibus não atendem as especificações contratadas, tanto para a qualidade dos carros quanto para o número de veículos, razão dos atrasos constantes dos ônibus.

“Até o serviço de recargas que poderia ser melhor prestado, pois se trata de arrecadação eles colocaram dentro de um ônibus adaptado dentro do terminal de integração”, conta o estudante secundarista Josué de Lima.

Audiência pública

Na segunda-feira 27, a Câmara Municipal realizou uma audiência pública para discutir o transporte público e a mobilidade urbana na capital. A sessão foi feita a pedido dos vereadores Professor Aleks Palitot e Alan Queiroz.

“Estamos acompanhando com muita preocupação o que vem ocorrendo com o transporte público em Porto Velho, realizamos a audiência e fomos surpreendidos com dois assaltos, um na linha Cidade Nova e outro no Campus Unir com violência em excesso”, afirmou o vereador.

Segundo Palitot, o poder do legislativo municipal é cobrar do executivo a prestação de um serviço de qualidade para a população, mas o que acontece hoje há um contrato celebrado através de um decreto com o Consórcio SIM, única empresa prestadora de serviço na capital. “É necessário uma nova licitação para que se possa ter novas empresas além do consórcio, caso desejem permanecer e participar de uma livre concorrência.

Foi protocolado via gabinete do vereador ao Secretário de Segurança Pública, a Semtran e ao Consórcio SIM o pedido por mais segurança em eixos e pontos estratégicos. Embora a população pague um alto valor o serviço não tem funcionado à contento.