SAÚDE: Munícipes reclamam de atendimento em unidades

Vereador encaminhou pedidos de providência à Semusa solicitando agilidade na resolutividade das questões

Com o objetivo de fiscalizar a qualidade do atendimento prestado à população, o vereador Professor Aleks Palitot visitou na tarde desta segunda-feira (29) o Pronto Atendimento 24 Horas Ana Adelaide, no bairro Pedrinhas e a Upa Zona Sul, no Bairro Nova Floresta. Em todas as unidades Palitot conversou com pacientes e equipes de plantonistas.

Após denúncias recebidas pelo gabinete do vereador Professor Aleks Palitot, informando sobre a falta de médicos e preocupado com as inúmeras reclamações, o vereador compareceu por volta das 15 horas no Ana Adelaide para verificar o que ocorria.

Em 2017 foram realizadas inúmeras visitas em unidades de saúde, conta Palitot. “Visitamos por cinco vezes a José Adelino, a UPA da Zona Sul por três vezes, a Unidade de Saúde Oswaldo Piana por sete vezes, a Unidade de Saúde Nova Floresta uma vez entre outras que sempre fizemos questão de estar acompanhando e fazendo os devidos pedidos de providência em virtude das demandas ali observadas”, relata o vereador.

“Algumas dessas solicitações foram atendidas, poucas, e inúmeras ficaram a serem observadas pela Secretaria Municipal de Saúde, mas infelizmente não foram efetivadas. Nós continuamos o mesmo trabalho de sempre buscando observar os problemas como fiscal do povo e levar toda a demanda à prefeitura de Porto Velho, cobrando as devidas providencias”, afirma Palitot.

Ana Adelaide

Antônio de Souza, 46 anos, sitiante, morador do km 13 da BR 319, conta que há cerca de 15 dias passou a ter muita febre, dor no corpo e na cabeça. Procurou a unidade por ser a mais próxima de sua casa, conforme orientação que recebeu nos postos de saúde.

“Esta é a terceira vez que venho a unidade, chego, faço exame e não dá nada e não passam outro exame nem encaminhamento. Hoje cheguei as 08 horas da manhã e até agora estou aqui sem ser atendido”, se resigna seu Antônio.

Várias pessoas como seu Antônio procuraram a unidade, porém devido à demora desistiram e foram para casa. Segundo enfermeiras, o motivo da demora no atendimento era a falta de médico. As escalas de férias montadas não haviam sido planejadas levando em consideração a necessidade da população ocasionando esse déficit de profissionais.

Mais de 50 pessoas aguardavam pacientemente sua vez de atendimento em uma recepção que não possuía mais assentos e cujo o ar condicionado não funcionava, agravando ainda mais o sofrimento destes pacientes.

UPA Zona Sul

Após verificar as condições da Unidade de saúde Ana Adelaide, o vereador Professor Aleks Palitot se dirigiu para a Upa Zona Sul onde foi recepcionado pelo gerente da Unidade Ney Roberto Freire.

Eram por volta das 16 horas e assim como na unidade anterior a sala de espera da Upa estava lotada. Segundo o gerente a média de atendimentos diários da unidade é de 350 a 500 pacientes sendo que seis equipes divididas em dois períodos se revezam para dar conta da demanda “o que acaba por sobrecarregar os profissionais”, lamenta o gerente.

Uma das primeiras observações do Professor Aleks Palitot foi a ausência de quadro de profissionais e horários, que de acordo com recomendação do Ministério Público deveria ser fixado no hall de entrada da Unidade, mas que foi colocado no corredor principal.

O gerente informou que tal atitude se tratava de uma medida de segurança para os funcionários, pois em inúmeros casos, pessoas insatisfeitas com atendimento ameaçaram integrantes da equipe de plantonistas, chegando a esperar no horário a saída dos profissionais para atentarem contra sua integridade física.

Outra preocupação dos usuários da rede pública de saúde é em relação a falta de medicamentos nas farmácias. O repórter Cleidson Silva, relata que a esposa estava doente e procurou a UPA, pois era a única alternativa que tinha.

“Eles pedem para procurarmos a mais próxima de nossa residência, mas nunca tem médico e mesmo aqui ainda há uma precariedade e os pacientes tem que ficar à mercê dos médicos. Preciso de alguns remédios da farmácia e ela fechada e ainda nem são 17 horas da tarde”, reclama.

Pela mesma situação passa a dona de casa Fernanda Cunha da Silva, de 57 anos, moradora do Bairro Conceição que precisava de medicamentos.

Feriado

Durante o feriado de instalação do munícipio (24), o vereador aproveitou a tarde livre para visitar as unidades de saúde da Zona Leste. Pronto Atendimento 24 horas José Adelino de Freitas, no bairro Ulisses Guimarães e a Upa Zona Leste, no Bairro Lagoinha.

Considerado um dia tranquilo para um feriado, o que afirmaram os atendentes da Policlínica José Adelino ao professor, aproveitou para saber as condições de trabalho das equipes compostas por dois médicos, um pediatra e um clinico geral atendendo a população no plantão das 16 horas, mais enfermeiros e técnicos, além de atendentes e equipe de limpeza e um vigilante.

O que foi notório para o vereador é que todos os profissionais buscavam atender da melhor maneira possível aqueles que procuravam por socorro hospitalar naquela unidade. O movimento na unidade era pequeno, mas o relato dos profissionais assustou o vereador, principalmente no que se refere a falta de segurança.

Na UPA Zona Leste o grande fluxo de pessoas aguardando atendimento causava uma má impressão. Logo na entrada uma senhora de 90 anos acompanhada por seus filhos passava mal e já se deslocava para outra unidade, pois não havia sido atendida.

Também trabalhando com três equipes médicas a gerência da unidade tem envidado esforços para poder atender a demanda. A questão da classificação de risco é algo que a população deve estar atenta. Enquanto na Unidade José Adelino o movimento para atendimento era escasso, a UPA Zona Leste estava sobrecarregada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.