Comissão discute ações para Educação Municipal

Tempo de leitura: 2 minutos

Pasta é detentora do segundo maior orçamento do município

Presidiada pelo vereador Professor Aleks Palitot, tendo como membros os vereadores Luan da TV e Marcio Miranda, a Comissão de Educação da Câmara Municipal realizou nesta segunda-feira (20) seu primeiro encontro. A reunião contou com a participação de Secretário Municipal de Educação Zenildo de Souza e seu adjunto Marcos Aurélio Marques e a presidente do Conselho Municipal de Educação Glaucia Negreiros.

Foram apresentados os índices da educação no município que possui 139 escolas das quais 99 possuem apenas autorização para funcionamento. Porém a maior preocupação da Comissão é a mesma do Conselho e da Secretaria, os baixos índices do IDEB que se encontram sem progressão desde 2007.

“Temos nos mantidos abaixo da meta como referencia o Governo Federal através do Ministério da Educação. A média do município de Porto Velho vem interferindo na média do Estado de Rondônia derrubando os índices obtidos pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc)”, alerta Palitot.

As extensões foram outra provocação, a infraestrutura para algumas escolas e os alugueis caríssimos que tem onerado muito o município, onde o dinheiro público poderia ser revestido em melhorias das estruturas físicas das escolas. A questão das escolas integrais, a nomeação de diretores e os critérios utilizados pra que isso fosse feito também foram assuntos que pautaram o encontro.

“O alinhamento das atividades desenvolvidas pela Secretaria junto com o Conselho e a Comissão foi a ato mais importante desse primeiro encontro. O secretário e o adjunto mostraram o panorama e as perspectivas de trabalho que pretendem desenvolver”, afirma Cesiane Camargo que como Chefe de Gabinete sente a expectativa que a comunidade gera em torno do trabalho do vereador Professor Aleks Palitot.

Semed

De acordo com o Secretário Adjunto, o prefeito é um empresário bem sucedido do ramo da educação. “Para ele seria ruim, se como gestor público não tivesse resultados positivos para a pasta”, afirmou. “Fico feliz quando provocado, pois somos levados a pensar e buscar soluções para os índices do IDEB, para a educação que ainda é analógica, a evasão escolar e a reprovação acima da média”.

A Semed propôs algumas ações como mediação tecnológica com a criação do Ambiente Virtual de Aprendizado (AVA), curso para professores, e a oferta de educação mediada por tecnologia. A implantação da Prova Institucional, a Avalia Porto Velho que permitirá a intervenção educacional ainda dentro do ano letivo, a regularização das escolas e ampliação desse número.

Para reforçar estas ações o Governo Federal liberará a primeira parcela do Programa de Apoio Financeiro às Escolas Municipais (Proafem) para manutenção e reparo. São esforços que a médio e longo prazo poderão melhorar a qualidade do ensino público na capital.

FONTE: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.